Maratona de Buenos Aires: como foi correr 42k na Argentina

Eu planejei minhas férias do trabalho pensando no calendário de maratonas internacionais. Em setembro, havia uma prova que eu tinha como meta correr, e como gostaria de conhecer Buenos Aires, na Argentina, juntei os passeios turísticos com a Maratona de Buenos Aires.

A cidade

Chegamos na cidade dia 17 de setembro, segunda-feira, a prova seria no domingo, 23. Então tínhamos uma semana para conhecer a capital do tango.

Na terça-feira fomos ao Teatro Colón – umas das cinco casas de ópera mais importante do mundo. Assistimos ao espetáculo de ballet Romeu e Julieta. O lugar é muito bonito e o espetáculo, perfeito.

Buenos AiresNa quarta-feira fizemos um city tour pelos principais pontos turísticos. Casa Rosada, sede da presidência e onde foi gravado o filme Evita com a Madonna. La Bombonera, estádio do Boca Junior. Floralis, flor metálica no bairro Recoleta.

À noite fomos ao Madero Tango, um jantar show com comida típica. Foi uma experiência inesquecível assistir ao espetáculo ao mesmo tempo em que apreciávamos a gastronomia regional.

Na quinta-feira, saímos da agitação da capital e fomos à Tigre, um município pequeno conhecido como a Veneza Argentina. A cidade está localizada a 33k de Buenos Aires (menos do que eu correria no domingo). O passeio de barco dura 1h e passa por várias ilhas e suas grandes casas com arquitetura inglesa e estilo de vida rural.  Foi surpreendente  ver o contraste muito peculiar e charmoso com as casas enormes e barquinhos na garagem ao invés de carros.

Em geral, achamos a cidade muito bem cuidada, organizada, limpa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gastronomia

Restaurante Santa Fé 123

A gastronomia é muito boa, a carne é realmente ótima, (eles comem muita batata, em tudo rsrs).

Nas refeições do dia a dia comemos neste restaurante com endereço homônimo, rua Santa Fé 123. Comi o bife de chorizo – corte nobre bem típico argentino, com arroz e baratas (sempre elas). O chorizo na Argentina é o contra filé nosso, não é aquela linguiça de sangue. Ah, o feijão tão comum no Brasil é raro na Argentina, em uma semana não comi nenhuma vez.

As entradas no Santa Fé foram sempre muito caprichadas com pães variados e até massa fininha de pizza quente. Uma delícia. A carne, perfeita. O único ponto não muito bom é que os pratos vêm só com carne e batatas. Pedi arroz à parte e veio sempre totalmente sem tempero.

Madero Tango

Essa casa de show com o legitimo tango fica em um ponto turístico, o Puerto Madero.

Em Puerto Madero funcionam escritórios de grandes empresas, bares e restaurantes famosos, uma universidade, hotéis de luxo, museus e um cassino flutuante.

Compramos esse passeio (um jantar Show) por um preço muito bom, cerca de 130,00 por pessoa e dava direito ao translado do hotel, jantar com três opções de entradas e prato principal, 2 opções de sobremesa, além de bebidas à vontade, incluindo vinho e champanhe.  O jantar foi servido antes do show. Estava tudo muito bom, ótima qualidade e o show teve duração de 1h aproximadamente. Ainda teríamos direito à aula de tango. Mas  fizemos amizades com o pessoal da mesa e fomos ao cassino flutuante ao invés da aula.

Petit  Colon

Em muito lugares de Buenos Aires, tomar um café é algo especial, uma cerimonia com muitas delicias de acompanhamento.

O Petit Colon foi o lugar ideal que encontramos para essa experiência de apreciar um café argentino. A decoração do lugar é um show à parte com piso de mármore, estofados de veludo vermelho, painéis de madeira na parede ao estilo colonial.

Eu pedi um café cremoso, veio com chantili separado, uma delicia, acompanhando com vários docinhos, um mais gostoso que o outro. Depois pedi outro café.  A Thaby pediu chá e veio praticamente um banquete. E o preço? Convertidos para real, ficou em torno de 40,00 tudo. Ótimo preço pela qualidade e pelo ambiente.

Cassino

Fomos ao cassino, a pé, 1h da manhã após sair do jantar no Madero Tango.  Eu nunca tinha ido a um cassino, só via em filmes. O local impressiona pela imponência, luxo e espelhos por toda parte.

O clima estava bem tenso no ambiente, acredito que seja porque nós estávamos em 4 casais alegres, dando risada alta e os “jogadores” tentando se concentrar diante das roletas, máquinas de jogos e o perde e ganha da sorte.

A corrida – Maratona de Buenos Aires

A “turistagem” intensa durou de segunda à quinta, com um treino leve de 8k. Depois, foi só descansar e concentrar pra corrida, afinal seriam 42km rodados pela capital argentina. Na sexta e no sábado, saí muito pouco do hotel, apenas para buscar o kit, almoçar e jantar, nada de turismo.

Essa foi minha segunda maratona, a primeira com selo bronze IAFF (Internacional Associations of Athletics Federation), o que faz da Maratona uma das melhores provas na distância realizada na América do Sul.

O percurso

Maratona de Buenos AiresA prova tem o percurso plano (não totalmente plano como me disseram antes de ir. Há subidas, mas são leves). As vias são bem largas, passa por muitas áreas verde e por  muitas edificações ao estilo europeu. A temperatura estava ótima para correr, por volta de 18 graus com pouco sol.

O circuito da Maratona de Buenos Aires tem marcação a cada km, passa por grandes pontos turísticos da cidade, como a Casa do Governo, a Casa Rosada, o famoso Obelisco, o bairro turístico de San Telmo, os estádios do Boca Juniors e do River Plate, o colorido bairro de La Boca e do sofisticado bairro de Puerto Madero, às margens do Rio Prata.

A prova é realmente muito bem organizada. E foi uma experiência incrível correr 42k e passar por todos esses pontos que eu já tinha passado de carro no city tour.

Apesar de toda a “turistagem” da semana e até certo descontrole na alimentação, não resistindo aos deliciosos doces de leite e alfajores, eu me senti muito bem por todo o percurso, concluindo a prova em 3h33min49, baixando 11min do meu tempo anterior, em Floripa.

Hidratação

Um ponto curioso nessas corridas grandes internacionais, é que a hidratação é feita com copos de água abertos, sem tampa. Isso é comum lá fora. Para beber correndo nesses copos, é bastante complicado. Entra água no olho, mas não entra na boca. No Brasil, a hidratação é sempre em copo fechado com tampa de alumínio.

Ponto negativo

Um ponto negativo sobre a prova é que faltaram medalhas para os atletas que terminaram a prova em mais de 4h. É triste um corredor se esforçar tanto durante 42km e não receber sua medalha. Mas a organização se manifestou oficialmente e disse que iria entregar a medalha a todos posteriormente.

Eu recomendo muito essa viagem para “turistar” e correr a Maratona de Buenos Aires. Em geral, os preços são melhores que em SP, nossa moeda é bem valorizada na Argentina. A comida é muito boa, há muitas opções de passeios e cultura. E a corrida tem um percurso muito bom, com ótima estrutura e segurança, além de ser padrão IAAF.

Essa Boa Corrida – Maratona de Buenos Aires está aprovada.

 

Cuide-se, corra e seja Feliz.

Ed

Deixe uma resposta