Quem é Eliud Kipchoge, além de recordista da maratona?

Eliud Kipchoge, queniano, 1,66m de altura, 56 quilos, 33 anos de idade.

O atleta é ao atual campeão olímpico na Rio-2016 e já havia conquistado a prova em Berlim em 2015 e 2017. Ele quebrou o recorde em mais de um minuto com o tempo de 2:01:39. O tempo anterior era de Dennis Kimetto, também do Quênia, também na Maratona de Berlim (em 2014): 2:02:57.

Só não ganhou uma

Kip, disputou onze maratonas e venceu dez. A única vez em que não venceu – ficou em segundo – foi justamente na capital alemã, em 2013, quando perdeu para o também queniano, Kipsang. Na ocasião, o compatriota também estabeleceu um recorde mundial (2h03min23).

O mesmo Kipsang participou em 2018, já com 36 anos de idade. Acabou em terceiro (2h6m48s), superado pelo também queniano Amos Kipruto (2h6m23s).

O campeão leva uma vida simples no Quênia

Entre um treino e outro, em um alojamento de uma pequena vila no oeste do Quênia, longe de sua família, o corredor Eliud Kipchoge usa parte de seu tempo de descanso para limpar banheiros. Quem olha para sua rotina sem conhecer sua trajetória, pensa que se trata de mais um atleta iniciante no mundo da corrida, que ainda não consegue viver do esporte.

O atleta abriu mão de todo o conforto de uma vida milionária para viver uma rotina humilde, pois assim, segundo ele, não perde a motivação. “Atletismo não é tanto sobre pernas”, disse Kipchoge em uma entrevista para a Runner’s World. “É sobre coração e mente”.

Assim como os demais moradores do alojamento, onde a maioria é de atletas sem patrocínio, o experiente corredor precisa fazer todas as tarefas de casa, como limpar banheiros, cuidar do jardim e preparar a comida. “A parte mais difícil é ficar longe dos meus filhos, já que eles sempre querem ficar comigo”, disse o campeão que é casado e pai de três filhos..

É assim que o queniano explica a decisão de viver em um alojamento em vez de aproveitar o conforto da casa que possui em Eldoret, principal cidade do oeste do Quênia. Ele já é um milionário do atletismo, ganhou dinheiro vencendo maratonas de alto nível, Campeonatos Mundiais, bonificações por duas medalhas olímpicas (nos 5.000 metros), como campeão olímpico e fechando patrocínios.

O corredor sorridente

“Maratona é a minha vida. E se você realmente quer ser feliz, então tem de aproveitar a vida. É por isso que sorrio, porque gosto de correr a maratona.”

Planos futuros

“Meus planos são um pedaço de papel em branco. Normalmente passo por um objetivo de cada vez. O plano era correr em Berlim. Vou dedicar um tempo para me recuperar do desgaste. Tenho família, então quero passar um tempo com eles. Também gosto de ler. Isso é o que me mantém feliz quando estou em recuperação.”


Fonte: Pesquisa Boa Corrida e Estadão

Deixe uma resposta