Kenenisa Bekele chegou em Londres como  o principal nome da prova. O etíope de 34 anos tem no currículo os recordes mundiais dos 5 mil e 10 mil metros e o segundo melhor tempo da história nos 42 km: 2h03min03s, feitos na Maratona de Berlim no ano passado – o melhor tempo é do queniano Dennis Kimetto, com 2h02min57s.

Esperava-se que o etíope quebrasse o recorde mundial desde Dubai, em janeiro, quando ele também chegou como grande favorito e abandonou a prova no km 23 devido a dores na panturrilha direita.

Vídeo – o momento em que ele abandonou a prova em Dubai

Em Londres, Bekele confirmou o seu favoritismo até o 13º quilômetro (e com tempo de recorde do Mundo), mas perdeu velocidade e ficou com o segundo lugar, com o tempo de 2h05min57s, atrás do queniano Daniel Wanjiru, que marcou 2h05min48s. O também queniano Bedan Karoki completou o pódio, registrando 2h07min41s.

Vídeo – a chegada da maratona de Londres

Bolhas causadas pelo tênis Nike

Bekele responsabilizou o par de tênis que utilizou durante a Maratona de Londres, no último 23 de abril, por não ter subido ao lugar mais alto do pódio na Inglaterra.

Segundo ele, a queda de rendimento antes da metade da prova está associada às bolhas que surgiram em seus pés provocadas por “um novo modelo”, como disse à Reuters.

“Usei uns ténis novos. Entre os 15 e os 20 quilómetros, as sapatilhas começaram a provocar bolhas nos meus pés, que não estava em condições devido aos ténis. Mudei o estilo da minha corrida para proteger os pés. Foi difícil e essa alteração afetou o meu equilíbrio. Aliás, sinto um pouco dos meus tendões, a minha perna não estava a responder bem. Foi por isso que diminui o ritmo. Aos 35, senti-me melhor e aumentei o ritmo”, afirmou Bekele à imprensa.

Nike rebate

De acordo com a Nike, o etíope calçou o Zoom Vaporfly 4%, o mesmo usado em sua marca pessoal na Maratona de Berlim do ano passado. Um porta voz da gigante de material esportivo garantiu que a empresa “trabalha em estreita colaboração com Bekele para entender o que aconteceu”.

416418689_5350523395001_5350507093001-vs.jpg
Zoom Vaporfly 4%

Acreditava-se que o modelo em questão era o Zoom Vaporfly Elite, utilizado por Eliud Kipchoge, Lelisa Desisa e Zersenay Tadese no projeto Breaking2 para romper a marca histórica das 2 horas em uma maratona. O Zoom Vaporfly Elite, só foi testado até agora por esses três atletas, diz a Nike.

Boa Corrida – opinião

Eu acredito que houve um mal entendido com o que o atleta disse e o que a imprensa divulgou. Parece-me que ele usou um tênis novo, que não estava amaciado, e não um modelo novo. De qualquer forma, deu bolhas. Se o atleta usou um tênis novo não amaciado em uma prova desse nível, é um erro grotesco. Qualquer atleta amador iniciante sabe que não se deve usar tênis novos para correr provas longas antes de “laciar” o calçado nos treinos.

O fato é que o atleta expôs negativamente o patrocinador. Esperamos cenas do próximo capitulo.

 

 

 

Um grande abraço, cuide-se, corra e seja feliz!

Edgar Santana

Créditos: reuters.com