Kathrine Switzer voltou ao local onde fez história no atletismo feminino e participou pela primeira vez em 1967.

Em 1967, Kathrine Switzer entrou para a história ao se tornar a primeira mulher a participar oficialmente da Maratona de Boston, a prova anual mais antiga do mundo. Nesta segunda-feira (17), a norte-americana voltou para a linha de partida usando o número 261, o mesmo que usou há 50 anos atrás.

Na ocasião, a estudante de jornalismo da Universidade de Syracuse estampou as capas de jornais e revistas. Aos 20 anos, Kathrine sofreu tentativa de expulsão do diretor da prova, Jock Semple, mas foi protegida por seu namorado, que empurrou o dirigente. A foto tornou-se icônica, a jovem continuou o percurso e completou a Maratona de Boston em 4h20m.

Hoje, aos 70 anos, ela completou a prova em 4 horas e 44 minutos.

66k7ujml07g7gjjhzj0jhk372

“Por um breve instante, me perguntei se deveria deixar a prova. Eu não queria estragar a prestigiosa corrida mas sabia que se eu parasse, ninguém jamais acreditaria que as mulheres tinham capacidade de correr mais de 42 km. Se eu parasse, iria trazer as mulheres no esporte para trás, ao invés de ir para a frente. Se eu parasse, jamais faria Boston e se eu parasse Jock Semple e todos os outros iriam ganhar. Meu medo e humilhação se transformaram em raiva”, disse Kathrine à revista “Runner’s World”.

Apesar de naquela época, as regras do evento não possuirem nenhuma cláusula que especificava gêneros, a Maratona de Boston era até então exclusivo para os homens. Kathrine fez sua inscrição apenas com as abreviações do nome: “K.V. Switzer”. A mulher afirma que apenas utilizou as siglas nas quais assinava suas matérias no jornal da faculdade e contou com o descuido da organização da maratona, que só percebeu que havia uma mulher no dia da corrida.

Em 1972, primeiro ano que oficializou a permissão de mulheres na Maratona de Boston, Kathrine usou sua influência e fez campanha para levar o sexo feminino ao evento. Hoje,  Kathrine Switzer é reconhecida por ter quebrado barreiras e iniciado o processo das mulheres no atletismo. A mulher possui 39 maratonas no currículo, sendo campeã da Maratona de Nova York em 1974.

 

 

Um grande abraço, cuide-se, corra e seja feliz!

Edgar Santana

 

 

Créditos: IG