23ª MARATONA DE SP: DEU QUÊNIA, MAS O PÓDIO FICOU CHEIO DE BRASILEIROS

Paul Kimutai e Leah Jerotich venceram neste domingo, 9 de abril, a 23ª Maratona Internacional de São Paulo. O evento reuniu 18 mil atletas e os melhores nomes do esporte no país e destaques do exterior no desafio dos 42.192 metros pelas ruas e avenidas da capital paulista.

No masculino, Paul Kimutai, um dos favoritos ao título, mostrou a que veio e com uma corrida bastante consistente, repetiu o feito de 2016, sagrando-se o grande campeão da Maratona Internacional de São Paulo, pelo segundo ano seguido, cruzando a linha de chegada com o tempo de 2h17min56seg. Mas o queniano não teve vida fácil, e foi acompanhado de perto pelos atletas brasileiros. E, foi apenas no km 30 da prova que ele começou a ter um pouco mais de vantagem e passou a abrir um pouco. A partir daí, ditou bom ritmo para não sair mais da liderança, alcançando a vitória, sua segunda consecutiva na principal prova do calendário.

“É minha segunda vitória na Maratona Internacional de São Paulo. Hoje fiquei feliz em defender e manter o título. Agora sou o bicampeão da prova. Mas não foi fácil. Estava calor e isso dificultou. Depois do km 30, quando assumi mesmo a liderança, comecei a gostar mais da prova, curti o percurso e fui administrando para vencer”, contou Paul Kimutai, bicampeão da prova.

Brasileiros no pódio

O restante do pódio foi composto por brasileiros. Edson Amaro Arruda dos Santos em segundo, seguido por Franck Caldeira de Almeida (3º), Wellington Bezerra da Silva (4º) e Francisco Ivan da Silva Filho (5º). O baiano Edson travou boa briga com seus compatriotas e também com o queniano Paul. O atleta segundo colocado chegou a liderar a prova, mas acabou tendo que diminuir um pouco para conseguir completar bem e garantir o resultado.

309383_694658_2017maratsppodiomasc_web_

“Fiz um trabalho específico para essa prova. Estava num ritmo tranquilo e revezava ali na frente, quando o Wellington começou a forçar e puxar mais, e foi aí que eu senti um pouco, porque estava fugindo do meu ritmo. Tive que diminuir e voltar para o meu ritmo. Depois do km 32 eu comecei a crescer na prova, aos poucos, porque voltei a fazer o que havida treinado. Superei o Wellington faltando 1,5 km para o fim e vim na raça. Em 2015 eu fiquei em quinto, ano passado não vim para a prova, e agora retornei bem. Estou muito feliz”, comemorou o corredor de 32 anos, natural de Juazeiro (BA).

309383_694661_2017maratspfranck_web_

Franck Caldeira – Brasil

Aos 42 anos, uma veterana da prova, Marizete ficou feliz com o resultado. E dedicou seu quarto lugar à memória do pai, falecido há quase um ano. “Me sinto lisonjeada de chegar, aos 42 anos, e ainda estar correndo neste nível. É muito gratificante. Foi uma prova muito boa. No km 21 já estava em quarto e fui só mantendo e graças a Deus consegui o resultado. Esse ano a prova aconteceu mais cedo no calendário, então minha preparação teve que ser acelerada. Também passei pela perda do meu pai, e o emocional acaba interferindo um pouco, acho que o treinamento não rendeu tanto, mas faz parte. Estou feliz, e dedico esse resultado ao meu pai e a todos que torceram por mim”, concluiu a atleta bicampeã da Maratona, e que foi a última brasileira a vencer, em 2009 e 2010.

309383_694662_2017maratspmarizete_web_

Marizete Moreira – Brasil

Recorde da prova continua sendo verde e amarelo

A 23ª Maratona Internacional de São Paulo contou com um convidado de honra: Vanderlei Cordeiro de Lima, dono do recorde da prova (em 2002), com o tempo de 2h11min19seg. O ex-maratonista é medalha de bronze em Atenas (2004), e responsável por acender a pira olímpica nos Jogos Rio 2016, foi o padrinho da disputa deste domingo.

“Para mim é maratona é prova mais importante do cenário esportivo nacional. E fico muito feliz com esse reconhecimento. Ser o padrinho desta disputa é muito gratificante. Meu tempo, em 2002, que ainda é o recorde da prova, foi fruto de muito trabalho e planejamento focado no desempenho. Mas acredito que seja importante para o evento que alguém supere esse tempo. Sigo na torcida para que isso seja feito por um brasileiro”, disse.

Resultados 2017

Masculino

1) Paul Koech Kimutai (Quênia), 2h17min56seg

2) Edson Amaro Arruda dos Santos (Brasil), 2h21min40seg

3) Franck Caldeira de Almeirda (Brasil), 2h21min53seg

4) Wellington Bezerra da Silva (Brasil), 2h22min37seg

5) Francisco Ivan da Silva Filho (Brasil), 2h24min54seg

Feminino

1) Leah Jerotich (Quênia), 2h41min58seg

2) Priscilla Lorchima (Quênia), 2h51min04seg

3) Christine Chepkemei (Quênia), 2h52min33seg

4) Marizete Moreira dos Santos (Brasil), 2h55min51seg

5) Simone Ponte Ferraz (Brasil), 2h56min58seg

Cadeirantes

Masculino

1) Leonardo de Mel (Edvandro Júnior), 1h46min14seg

2) Wellington de Souza Junior (Smafel), 3h12min12seg

Feminino

1) Aline dos Santos Rocha (Jumper TAM), 2h00min30seg

2) Vanessa de Souza (Fast Wheels), 2h11min02seg

3) Maria de Fátima Chaves (Fast Wheels)

Um grande abraço, cuide-se, corra e seja feliz!

Edgar Santana

Creditos: Consultoria de Comunicação da Yescom: